Não é tão difícil ver uma discursão entre profissional e empreendedor a respeito de cliente. Geralmente a coisa começa a pegar quando uma das partes resolve desistir do acordo de contrato de trabalho. Um exemplo comum é o quando o cabeleireiro resolve mudar de salão e levar a clientela consigo, antes disso eu quero chamar a atenção dos leitores para nosso ego exaltado.


Super Recomendo!


Sei que nem sempre é fácil atender uma cliente nova e quando se atende, um dos objetivos principais é o retorno desta, logo, quando o telefone toca e recepcionista avisa o profissional que a cliente marcou com ele (a) novamente, é um momento de grande alegria pela “conquista”, depois de um tempo, com algumas vezes que remarca com o mesmo, logo se houve pelo salão, a minha cliente isso, a minha cliente aquilo, então, teoricamente ela é a cliente dele.

Segundo alguns consultores, a cliente em primeiro lugar é da recepção, se houver erro nesta parte do atendimento é provável que a cliente nem chegue ao profissional. Em minha experiência como cabeleireiro e maquiador, percebo que em alguns salões, a cliente é em primeiro lugar do manobrista, se ele errar no momento do atendimento, “é provável que ela nem chegue até a recepção”, parece irônico, mas olhando por uma perspectiva global, percebesse que todos são responsáveis pelo atendimento ao cliente, mesmo que indiretamente com um sorriso, uma revista, um café, todos contribuem um pouco para o retorno dela.

De quem é a cliente afinal? A cliente é de todos, e quando o profissional que mais atende esta mudar de salão, a escolha é dela de segui-lo ou não. Se os proprietários e profissionais entenderem desta forma, o profissional pode mandar fazer cartões com o padrão da casa e colocar seu telefone e e-mail, desta forma a cliente que vai escolher com quem ela fica, porém esta é minha sugestão, sei que muitos salões evitaram discussões tolas depois que adotaram este método. Mesmo quando um profissional já vem com uma clientela de outro salão, ainda sim tem que tomar cuidado com o ego, afinal, todos podemos somar para que a cliente fique cada vez mais satisfeita.


Super Recomendo!


Comments

  • Avatar
    Felipe Lyrio
    julho 26, 2019Responder

    O texto não trata da assertiva legal, infelizmente o que eu estava procurando. Existem vulnerabilidades em determinadas situações, por exemplo: um profissional em início de carreira com poucos clientes que entra em um salão, e o salão mantém ele até que ele traga todos os clientes e depois o demita, somente para absorver sua clientela.

  • Avatar
    Heloiza
    maio 18, 2015Responder

    Ótima matéria

    Sou dona de salão de cabelereiro, e tento ter uma otina gestão do salão assim se um profissional bom sai, no dia seguinte ja tem outro tanto ou mais qualificado, mas sempre tendo manter um padrão de atendimento, e manter a equipe

  • Avatar
    Aparecida Ramos
    maio 18, 2015Responder

    Artigo muito bom. faço Consultoria para Salões de Beleza e com certeza vou usar esse texto nos novos trabalhos.

Leave a comment