Consumo Consciente e mais Sustentável

Não precisamos de tudo o que compramos. Muitas vezes nem damos conta de usar tudo o que temos, não é verdade?

Comprar de forma mais ética e consciente exige repensar o consumo de maneira geral, comprando menos, sempre produtos que durem mais e peças que sejam úteis no dia a dia e facilitem a vida. Também é refletir sobre necessidades pessoais e as ofertas de mercado. É necessário ponderar, com base na informação, os impactos negativos e positivos das opções disponíveis, e só depois fazer a escolha.

Não é tão simples como se pode imaginar, exige um pouco de dedicação. Por isso, segue uma lista que vai ajudar a quem está repensando a relação com o consumo, especialmente de moda. Pondere decisões de compra e faça escolhas mais conscientes e sustentáveis.

1 – Cuide do que você já tem

É fundamental cuidar do que você já tem, para garantir uma maior vida útil para as suas peças. Leia sempre as instruções de lavagem das suas peças, pendure-as direito e de forma que o material não seja danificado, pesquise como tirar manchas, tenha uma costureira para pequenos ajustes, saiba cuidar das peças de couro, ou procure um lugar especializado para isso. Uma dica para qualquer roupa é: lavar menos. As peças vão durar mais e vão se conservar em melhor estado, e de quebra você ajuda na economia da água do planeta.

2 – Reaproveite e reforme

Faça ajustes, mande reformar, use e abuse da criatividade para criar novos looks com peças que você já tem. Aproveite ao máximo e caso seja para usar mais, vale a pena transformar aquele vestido longo em uma saia e uma blusa que vai conseguir usar muito mais.

3 – Conheça o seu Guarda-Roupa

Saber exatamente do que se precisa e conhecer bem o estilo pessoal é importante e conta muito na hora de ir às compras. Para ser um consumidor consciente de moda é preciso conhecer seu guarda-roupa, conhecer os valores de elegância que deseja seguir e comprar somente o que for necessário.

4 – Comprar roupas de segunda mão

Pode ser em brechós ou em feiras de troca e bazares. O importante é perceber que nenhuma roupa é mais sustentável do que aquela que já existe. Essa é a lógica e faz com que as peças sejam reaproveitadas, evitando a necessidade de produção de novas peças. Aproveite para vender o que não usa mais, ou troque suas peças também! Trocar roupas com as amigas, é uma forma incrível de trazer versatilidade ao seu guarda-roupa e ao delas.

5 – Compre de produtores locais e nacionais

Comprar de produtores locais e nacionais permite que você pague diretamente a quem produz, movimenta a economia local e evita todo o impacto ambiental causado pelo transporte. Então, quando for comprar, prefira produções pequenas, produções locais.

você precisa de uma montanha de roupa

6- Atenção com o barato, pois pode sair caro

Roupas muito baratas podem ter pior acabamento e estragar após poucas lavagens. Investir em roupas de boa qualidade, com maior durabilidade, e no conserto de roupas e acessórios, vale o investimento e evita o consumo desnecessário de novas peças. Busque por tecidos naturais (orgânicos, se puder). Busque peças com maior qualidade para que durem bastante no armário e não precisem ser substituídas tão rápido.

7 – Conheça o modo de produção das marcas

Informe-se sobre o processo de produção das marcas que costuma comprar e caso se interesse em saber mais, a dica é o aplicativo Moda Livre, que informa e avalia a forma de produção de algumas marcas. Nele você encontra informações sobre o histórico da marca, que é importantíssimo na hora de saber de onde vem a peça que quer comprar.

8 – Não compre por impulso

As compras mais desastrosas, são feitas por impulso. Isso pode acarretar em um guarda-roupa cheio de peças que foram pouco ou nunca usadas. Então se pergunte sobre os tópicos abaixo:

  • Eu realmente preciso disso?

Pensar se você realmente tem necessidade de mais uma roupa vai ajudar a fazer uma escolha inteligente.

  • Já tenho algo parecido com o que quero comprar?

Pare e pense no que você já tem, e veja se a peça que pretende comprar pode ser substituída.

  • Essa peça tem realmente o meu estilo?

Então você achou uma peça única e incrível, ela veste bem e você não tem nada parecido no seu guarda-roupas, mas será que essa peça tem mesmo o seu estilo? Não tente um estilo diferente do seu, mesmo que seja tendência e você ache lindo em outras pessoas. Pode ser um clichê, mas na hora de comprar roupas de maneira consciente você tem que dar preferência para o que ajuda a ser a melhor versão de você mesma.

  • Eu conseguirei usar a peça várias vezes?

Você deve se questionar sobre o quão útil a peça vai ser. Esse deve ser um ponto decisivo na sua escolha de compra. Se gostar, a peça vestir bem, sentir-se confortável e tiver a certeza que vai usá-la várias vezes, você já está fazendo uma compra consciente.

  • É uma peça fácil de cuidar e que se encaixa no meu estilo de vida?

Ao considerar a compra de uma roupa, a dedicação e praticidade que o material da peça exige, deve ser levantado porque a última coisa que você vai querer é deixar uma peça no armário por ser difícil de lavar ou cuidar.

Lembre-se: comprar de forma consciente é ponderar todo o ciclo de vida do produto, da produção ao descarte. É também entender a sua relação e responsabilidade com o consumo e se dispor a ter um olhar mais empático e consciente, e menos relacionado com cifras, para as coisas. Coisas são só coisas, mas por trás delas estão pessoas, animais e nossos recursos naturais envolvidos.

Boas compras!

Tem dúvidas sobre Imagem e Estilo ou gostaria de sugerir algum assunto pros posts?

Deixe seu comentário que teremos o maior prazer em ajudar!

Fonte das Imagens: Pesquisa Google. Caso você seja o dono de alguma(s) delas e deseje que a(s) 
retiremos, por favor, nos informe nos comentários e atenderemos ao seu pedido.


Sou baiana, mas moro no Rio de Janeiro desde 2010. Sou formada em Design Gráfico e Design de Moda. Formada em consultoria de estilo pela Oficina de Estilo, e pós-graduada em Produção de Moda/Styling pela Universidade Veiga de Almeida. Trabalhei no estilo de marcas cariocas, como Datskat e Osklen, onde fiquei 3 anos e meio. Adorava o que fazia, mas com o passar dos anos, percebi que meu objetivo era auxiliar as pessoas a se sentirem mais bonitas e felizes com elas mesmas, de forma mais direta. Sou apaixonada por gente, pela singularidade e diversidade de cada um. Por isso criei a consultoria de imagem e estilo Moar, para ajudar as pessoas se sentirem mais felizes, realçando a originalidade de cada um.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *