Como lidar com cliente que compara preço do seu serviço de estética?

1

 Visagismo palavra derivada do francês VISAGE (rosto), quando trazida para o português teve o acréscimo do sufixo ISMO, que denota um grupo de pessoas que reúnem se com um cunho cientifico e/ou artístico  idealizando uma causa, são exemplos o budismo, cristianismo, iluminismo e também o visagismo, como muitos outros exemplos.

Visagismo tem profundas raízes na fisiognomia tratada de forma introdutória e sábia pelo grande filósofo Aristóteles (320 a.c.) em seu livro “Pseudo Aristóteles” (que é um compilado de vários  filósofos da antiguidade) onde citam que nosso rosto, nosso comportamento e imagem causam sensações em terceiros. Podemos notar que o visagismo é mais antigo do que poderíamos imaginar certo?  A evolução do homem exigiu um amadurecimento do visagismo na  antropologia, matemática, psicologia, símbolos arquétipos, medicina, moda, sociologia e na própria filosofia visando um embasamento acadêmico para responder questões que até antes pareciam sem respostas,  corroborando que a nossa imagem provoca sensações e percepções, e isso pode ser transformado com respeito a identidade da cliente, em essência o visagismo se torna magnânimo na sua real aplicabilidade.

Visagismo não é escolher um corte de cabelo baseado apenas num formato de rosto, cor para o cabelo dependendo do tom da pele ou até mesmo influenciando contornos faciais pela maquiagem, o visagismo acadêmico e evoluído trata a cliente de forma global, interna e externa  respeitando sua identidade.

Note se o profissional cabeleireiro que se intitula visagista atende você tratando o visagismo de forma global e evoluída com base acadêmica ou simplesmente idéias, e visões limitadas de fácil acesso.

Imagem: http://frugnus-historiska-nedslag.webnode.se/news/afrodite-venus/

Fonte: Book Pseudo Aristoteles (Spanish Edition)

Comments

There are no comments yet.

Leave a comment