Quando um material deve ser esterilizado?

Um material deve ser esterilizado quando entrar em contato com sangue, secreções ou pele não íntegra (ferimento). Por exemplo: os instrumentais utilizados pelo manicuro como alicates e espátulas, lâminas utilizadas por barbeiros e cabeleireiros e curetas utilizadas por esteticistas.

Estes materiais devem sempre passar pelo processo de esterilização após o término de cada atendimento ao cliente, pois microcortes muitas vezes imperceptíveis podem ocorrer, tornando o instrumental um possível veículo de contaminação.

Descontaminação

Os materiais que necessitam passar pelo processo de esterilização devem primeiro sofrer a descontaminação para a remoção de resíduos como sangue, pele e secreções.

O procedimento de descontaminação é feito através da fricção do instrumental auxiliada por esponja ou escova embebida em álcool etílico a 70% durante 10 minutos por três vezes, totalizando 30 minutos. Outra opção é a imersão completa do instrumental em álcool etílico a 70% por 30 minutos.Em seguida é feita limpeza com água e sabão com auxílio de uma escova; enxágüe em água corrente e secagem em papel toalha descartável.  Depois de seco, o material deverá ser devidamente embalado e acondicionado para o procedimento de esterilização.

Processos de esterilização

Vapor saturado / autoclave

  • Embalar totalmente os instrumentais em papel crepado ou camada dupla de algodão cru. A embalagem onde se encontram os instrumentais deve permitir a entrada e saída do agente esterilizante. As embalagens devem ser permeáveis ao vapor e impermeáveis às partículas microscópicas, ser resistentes à ruptura e flexíveis;
  • Depositar as embalagens em estojos de aço inox perfurados;
  • Carregar a autoclave com um só tipo de material; por exemplo, embalar e depositar nos estojos apenas instrumentais metálicos. Utilizar somente 80% da capacidade da câmara da autoclave. Acomodar os estojos no interior da autoclave de modo que fiquem expostos ao agente esterilizante;
  • Segundo a literatura, o tempo de exposição ao calor varia conforme o tipo de material: de 30 minutos a 2 horas, em temperaturas que variam de 121 a 200oC;
  • Após o tempo de exposição ao calor, desligar a autoclave e observar a completa despressurização antes de abrir a câmara;
  • Aguardar o resfriamento dos materiais antes de retirá-los da autoclave;
  • Armazenar os artigos em armário fechado e limpo, mantendo-os na embalagem utilizada na esterilização, garantindo que os mesmos fiquem livres de microrganismos durante a estocagem;
  • Retirar os instrumentais das embalagens somente no momento do uso.

Calor seco / estufa

Utilizando-se do calor seco, as estufas eliminam qualquer traço de contaminação. Há algumas recomendações para seu uso satisfatório: os materiais de metal, depois de lavados, devem ser colocados em estojos de alumínio ou aço inoxidável, tipo marmita; ou em envelopes próprios para esterilização em estufa. Com relação aos alicates, suas pontas devem  ser protegida com papel alumínio, devendo ser retirado na frente do cliente.

O tempo para esterilização deve ser contado a partir do  momento em que o termômetro longo do bulbo (mercúrio) atingir a  temperatura programada no termostato (botão do equipamento).A temperatura adequada para garantir a esterilização eficaz é de 170ºC por 1 hora ou 160ºC por 2 horas.

Outro detalhe importante é que a estufa não deve, de forma alguma, ser aberta durante o processo de esterilização. Quando isso acontece, a assepsia dos instrumentos é interrompida.

Outras dicas para esterilização no salão de beleza

Os alicates, espátulas e outros instrumentos de metal esterelizados devem ser guardados, em local limpo e seco e constar na embalagem a data da esterilização.

Fornos elétricos ou equipamentos com lâmpada ultravioleta não esterilizam os materiais de metal.

Leia com atenção o manual técnico de seu equipamento e siga corretamente as instruções do fabricante. Guarde o manual em local de fácil acesso para que possa ser consultado sempre que necessário.